***Por trás dos bastidores***

Eis que fecha a cortina do teatro, o espetáculo acabou. Entre e comente, a porta dos bastidores está aberta!

Friday, July 21, 2006

*


Essa foto é do texto abaixo, o blog não está aceitando foto em todos os textos. Beijos.

Meu Coquetel Químico

Trechos do livro "Por quê os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor?" :

"Você encontrou aquela pessoa especial - coração acelerado, mãos molhadas de suor, borboletas no estômago... Nos dias seguintes tem pouca vontade de comer, mas nunca se sentiu tão bem. Até o resfriado sumiu. Existem evidências de que o fenômeno do "amor" resulta de uma série de reações químicas no cérebro que provocam efeitos físicos e mentais. Em outras palavras: você, suas alegrias, tristezas, ambições, decisões, seu senso de identidade, o amor - tudo isso não é mais que a atuação de um enorme conjunto de células nervosas."
"Quando duas pessoas se beijam, seus cérebros fazem uma rápida análise da saliva um do outro e decidem sobre a compatibilidade genética."
"As pessoas apaixonadas são mais saudáveis e resistentes às doenças. O amor faz bem à saúde."

Achei super interessante, a natureza é sábia, tudo se encaixa, os opostos se atraem mas os iguais se procuram... Porém, minha mente, meu coração e meus hormônios estão fugindo da ciência. Meu cérebro foi muito bonzinho e fez uma análise perfeita da sua saliva. As borboletas do meu estômago se transformaram em grandes pássaros. Acordei com sua ligação, dei um pulo da cama sem saber se atendia ou não. Era meio dia, meu olho estava borrado de maquiagem e a voz rouca não negava que a noite passada no forró tinha sido longa. Atendi com um brilho no olhar e daquele estado deplorável que me encontrava me senti a mulher mais bonita do mundo. Enquanto escutava sua voz, enxergava seu lindo sorriso e aquela mania que tem de morder os lábios. Seu rosto estava tão nítido que tive vontade de beijá - lo. Ao desligar o celular, recebo sua mensagem dizendo que adorou ouvir minha voz. Poxa, por quê você mora tão longe? Às vezes eu preferia não ter te conhecido, não sei controlar essas reações químicas. Acho que nem o melhor neurologista do mundo entende o amor. Eu sinceramente gostaria de entender, mas como dizia Clarice Lispector: "Não se preocupe em entender, viver ultrapassa o entendimento." Me deixa viver com você? Você roubou minhas células nervosas. Você é meu coquetel químico e está me deixando embriagada. Não quero que essa sensação acabe, estou viciada. Venha e me mostre que o amor é maior que estudos científicos. Sua voz ao meu ouvido vale mais que termos técnicos. Por você eu levanto no meio da aula de psicanálise e grito bem alto que Freud não entenderia meus sentimentos. Me faça um favor? Me beba de canudinho até seu cérebro explodir e juntos seremos uma única célula, um único sentimento e a mesma saliva. Estou derretida, pode começar a beber e se vicie. Sou sua melhor bebida e não vou me esconder da nossa química.

"Você passou perto de mim sem que eu pudesse entender, levou os meus sentidos todos pra você..." Jota Quest

Saturday, July 08, 2006

Inspiração


Sábado, férias, 2:00 horas da tarde e aqui estou de pijama procurando alguma inspiração. Penso em desligar o rádio mas começa a tocar aquela música de boate que eu adoro. Começo então a escrever sobre amigos, diversão, o vazio que dá no peito que se mistura com o frio daquela noite e o texto divertido passa a se esvaziar assim como a mente. A festa nunca é bacana quando a gente não está bacana. Então mudo de assunto. Penso em escrever um texto tipo auto ajuda... faça isso e não faça aquilo... blá blá blá. Não, não gosto de dar conselhos. Conto casos e as pessoas tiram proveito do que é conveniente. Qual o segredo para a escrita? Acho que é exatamente não ter segredos. Vou escrever sobre as férias, sobre o quanto as pessoas reclamam do cansaço, gritam por férias enquanto o coração grita por silêncio. Parece que ninguém aprende nada. Todo mundo se desgasta durante alguns meses ao invés de administrar o tempo e a saúde. Hum...vou mudar de assunto de novo. Vou escrever sobre o amor, sobre como tudo é belo, príncipe encantado existe e pessoas perfeitas também. Poxa, que ilusão! Perdão pessoal, acho que estou meio vazia. Alguém aí me enche de alguma coisa por favor? Alguém me dá um soco na cara para que eu possa escrever sobre o olho lacrímejado, a bochecha dormente e a vontade de retribuir? Enquanto nada acontece, espero continuar gostando da minha companhia e dos meus pensamentos malucos. Que eu continue lidando super bem com esses momentos de solidão enquanto procuro uma simples inspiração.